• aceitação
  • CABELO RUIM?

    Olá, divas!!



    Resolvi fazer esse vídeo porque tava precisando desabafar e sei que muitas pessoas passam por essa situação diariamente. Apesar de 53% da população brasileira ser negra (Isso mesmo, mais da metade!), o Brasil ainda é um país que foi criado em cima de uma base escravocrata, que pelo visto mantém os princípios escravocratas, de que o negro é preguiçoso, não gosta de trabalhar e não presta pra nada. Não seria diferente com o nosso cabelo. Na visão dos racistas, já que “o negro não presta pra nada” e o cabelo crespo faz parte da negritude, então ele também não presta, né?
    Por isso mesmo resolvi gravar esse bate papo e espero sinceramente que possa alcançar quem realmente precisa ouvir, pois desde pequena ouvi coisas horríveis a respeito do meu cabelo e cor da minha pele e não gostaria que se perpetuasse por mais tempo.

    CABELO RUIM?

  • 4c
  • CRESPO SEM DEFINIÇÃO?

    Olá, divas!



    Vamos falar um pouquinho sobre cabelo crespo?

    Há um tempo houve uma mudança na aceitação dos cabelos naturais, depois de muuuito tempo alisando, relaxando, pranchando, as meninas se aceitaram. Quando pensávamos que seria tudo ok, começou a se subdividir em cachos perfeitos, cachos abertos, cacho controlado, cacho definido. 
    E quem tem cabelo crespo?
    E quem não tem cabelo com cacho definido?
    Onde fica no meio disso tudo?

    Disseram que as crespas não podem ser loiras, platinadas, grisálias ou coloridas.



    Que cabelo crespo sem definição é feio.

    Que não dá pra inovar nos penteados…



    Mais uma vez tentam nos definir, a personalidade ou o cabelo. Por isso eu fiz esse vídeo falando um pouco sobre a minha experiência e sobre o que acho sobre essa nova onda de cachos perfeitos.



     CRESPO SEM DEFINIÇÃO?



    CRESPO SEM DEFINIÇÃO?



  • aceitação
  • Aceitação do Crespo

    Olá, divas!


    Por onde começar? Que tal por essa foto?

    Pra início de conversa eu me achava linda!


    Bom, na primeira foto eu tinha cerca de 16 anos e já alisava o cabelo há anos.
    A sociedade diz que o meu cabelo liso, mesmo daquele jeito maltratado, sem vida e totalmente detonado é mais “bonito”. Naquela época eu acreditava nisso, acreditava que não tinha outra opção pro meu cabelo, era alisar ou alisar e a mídia fazia e faz questão de afirmar isso, até hoje.
    Porém hoje eu sei que existe beleza em todos os tipos de cabelo, sei o que fazia e o que faz as pessoas acharem o liso mais bonito, em detrimento das diferenças. Sei com clareza o que faz o meu cabelo crespo ser rejeitado nas entrevistas de emprego, nas revistas, nos relacionamentos familiares(“Não tá na hora de relaxar a raiz, não?”), amorosos(“Se parar de alisar eu termino com você!”).

    Como eu disse, eu me achava linda!
    Não por estar linda em si, pois é notável na foto como o meu cabelo tava destruído ~fora a minha cara de pamonha~, mas a sociedade dizia que era melhor daquele jeito e me aceitava melhor daquele jeito. Tudo o que eu queria naquele momento era ser aceita e se o meu cabelo não estivesse liso, eu não seria. 
    As pessoas são cruéis e as crianças reproduzem esse comportamento cruel, logo podem deduzir o que passei na época da escola. 

    Texturização com bigudinhos


    Quando resolvi que não ia mais passar progressiva no cabelo, passei por um longo período de aceitação e rejeição das minhas raízes, achava que estava horrível e as pessoas faziam questão de ressaltar isso, então voltava a alisar. Passei muito tempo fazendo texturização capilar até decidir fazer o BC.

    Por fim, pra não me alongar muito… 

    Dia do BC

    Um belo dia de sol (depois de muita chuva e tempestades) eu me olhei no espelho e gostei do que vi, decidi topar um desafio pessoal de ver como era o meu cabelo e saber se eu ia gostar do que veria, percebi que o que sempre disseram ser feio estava escondido todos esses anos por causa do racismo, preconceito e ignorância.

    Não podemos mais nos deixar influenciar por pessoas assim, por esse tipo de pensamento, somos mais fortes.
    Precisamos existir, resistir.
    #Solteajuba